Furacão joga contra o Bahia pelas quartas de final da Sul-Americana

Por Redacao 24/10/2018 - 08:38 hs

O Atlético Paranaense entra em campo nesta quarta-feira (24) para encarar o Bahia às 21h45, na Arena Fonte Nova pelas quartas de final da Conmebol Sul-Americana. O Furacão tem a melhor campanha da competição e o técnico interino Tiago Nunes espera que os jogadores rubro-negros mantenham o desempenho das fases anteriores. O Atlético Paranaense eliminou Newell’s Old Boys [Argentina], Peñarol [Uruguai] e Caracas [Venezuela].

"Temos que tentar ser a mesma equipe que fomos até então. Uma equipe que tenta propor o jogo e buscar o gol. Com equilíbrio, tentar vencer”, disse o profissional atleticano, ao Site Oficial. "A característica de mata-mata deixa o jogo com mais emoção, detalhes e mais atenção. Esperamos um jogo muito difícil”, acrescentou.

Para chegar às quartas, o Bahia superou Blooming [Bolívia], Cerro [Uruguai] e Botafogo. O time de Salvador (BA) vem de uma vitória fora de casa pelo Brasileirão, também diante do Botafogo. “O Bahia vem muito bem, agora crescendo no Brasileiro. Venceu fora de casa. Fez por merecer chegar nesta etapa da competição, assim como nós. Então, temos que estar muito focados e entender que será um jogo muito difícil, que se inicia agora nestes 90 minutos e que se decide depois na Arena”, destacou Tiago Nunes.

Na Arena Fonte Nova, o Rubro-Negro encontrará um gramado que foi trocado recentemente e que não apresenta as melhores condições para a partida. "Não podemos focar nisso. O gramado não está nas melhores condições. Mas também vai atrapalhar o adversário, que também tem qualidade. Temos que focar no nosso jogo, na nossa equipe e em desempenharmos o nosso melhor, independentemente das circunstâncias que vamos enfrentar”, afirmou o técnico interino atleticano, que também lembrou sobre o VAR. Será a primeira vez que a tecnologia será utilizada em uma partida do Rubro-Negro. "O VAR é um a ferramenta auxiliar, que vem para auxiliar o árbitro e o futebol. A definição das ações que podem ser tomadas ainda passam diretamente pelo árbitro, que é um ser humano. Temos que dar pleno apoio à arbitragem”, concluiu Tiago Nunes.